Família se desespera com absolvição do palhaço de Teresina


O programa Balanço geral - 1ª edição desta (08/11) mostrou o desespero da família da estudante Kaysa, após a absolvição do principal acusado. O palhaço Washington Barros Silva namorava a estudante e foi o priciapal suspeito da morte dela quando ela foi encontrada no carro próximo ao Planalto Uruguai, zona Leste de Teresina.

À reportagem da TV Antena 10, o palhaço Washington disse que a justiça foi feita por que a morte dela foi um acidente e ele não poderia ser condenado por isso. Já o pai da moça, aos prantos questionou o julgamento. "Nunca aconteceu um caso desses no Piuaí! Minha filha foi morta, eles estava armado não pode ficar assim impune". O pai se refere ao fato de Washington ir de encontro a Kaysa armado, dizendo que queria discutir a relação.

Após a morte, o palhapo fugiu e foi encontrado pela polícia, após muita busca da parte do pai de Kaysa, na cidade de Arapiraca, em Alagoas. "Ela é mais uma mulher que

O julgamento ocorreu durante essa quarta (08/11), quando o Tribunal Popular do Júri decidiu que o tiro que matou a vítima foi acidental, após alegações de acusação e defesa. Os jurados entenderam que o palhaço não teve a intenção de matar a esposa e a pena pelo disparo acidental deve ser revertida em serviços a serem prestados para a comunidade. O promotor Eliardo Cabral ingressou com recurso por acreditar que o veredita contraria as provas dos altos. O Ministério Público já recorreu da decisão e os pais questionam. "Porque foi armado então?!".

O promotor Eliardo Cabral também disse à Antena 10 que, infelizmente, houve engano nos votos do júri no que diz respeito ao caráter do homicídio. "Os jurados podem ter confundido em votar se foi homicídio culposo ou doloso", afirma o promotor.

Fonte: 180 Grau
Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter Google Plus email Email
EMAIL: contato@radioousadia.com.br

Curta Nossa Página

As Mais Lidas do Nosso Site

De onde Nos Visitam

Arquivos do Site

Total de Visitantes do Site