Marco Polo Del Nero tinha Ciúmes da namorada ex modelo e jornalista Carol Galan. Por isso contratou detetives particulares.E acabou detido


O Comitê de Ética da Fifa pode sossegar.
Não há nenhum esquema espetacular.
Nem ligação criminosa de alta periculosidade.
Lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, assassinato.
Nada disso.
Só ciúmes.
O vice da CBF e presidente da FPF, Marco Polo Del Nero tinha muito ciúmes.
Estava desconfiado de sua namorada, Carolina Galan.
Acreditava que ela o traía.
Afirmou isso com todas as letras à Polícia Federal.
E por isso contratou detetives particulares para segui-la.
Foi além, quis saber para quem ela telefonava.
Com quem trocava e-mails.
Por essa razão, contratou uma agência de detetives particulares.
A vida de Carolina passou a ser toda monitorada.
Esse foi o depoimento de Marco Polo à Polícia Federal.
Ele, Polo, teve sua casa invadida por policiais no dia 26 de novembro.
Era madrugada.
Precisou entregar seu computador Sony e IPad.
Foi conduzido a depor.
Marco Polo acabou nas teias da operação Durkheim.
A Polícia Federal estava havia meses investigando um grupo de criminosos.
Ele era especializado na quebra de sigilos telefônicos e bancários.
Dezenas de pessoas tiveram suas vidas devassadas pelo grupo.
Entre elas várias do Tribunal de Justiça de São Paulo.
O ex-secretário de Reforma do Judiciário, Sergio Renault.
O prefeito de Santo André, Aidan Ravin.
E até o ex-jogador da seleção e do Corinthians Luizão.
A Polícia Federal chegou ao presidente por causa da Federação Paulista.
Era para os computadores da entidade que chegavam os e-mails dos detetives.
Marco Polo afirmou, logo depois do ocorrido, que estava tranquilo.
Não havia nada com o futebol a investigação que realizava.
O dirigente garantiu à PF não saber que a devassa dos detetives era ilegal.
Carolina é repórter da TV FPF.
Trabalha ainda como apresentadora da Rede Vida.
O namoro já dura dois anos e meio.
Toda a apuração dos detetives particulares era enviada por e-mail ao presidente.
O endereço: presidencia@fpf.org.br.
Marco Polo circulava com sua namorada em todas as cerimônias esportivas.
Até mesmo no palanque para a entrega de troféus a campeões paulistas.
Carolina foi modelo antes de trabalhar como jornalista e apresentadora.
Ela é bem mais jovem do que Marco Polo.
Diante da revelação, o Conselho de Ética da Fifa deve se calar.
O presidente Joseph Blatter garantiu que acompanharia o caso.
Mas não esperava por esse desfecho surpreendente.
Que o vice-presidente da CBF estava com ciúmes.
E precisou contratar detetives particulares para seguir Carolina.
Antes da revelação do motivo das investigações, Marco Polo viajou.
Foi ontem ao Japão participar de reuniões da Fifa.
Lá poderá explicar a Blatter o que aconteceu.
Muitos homens que comandam o futebol mundial também namoram mulheres mais novas.
E sabem que não é nada fácil.
A empolgação, muitas vezes, vira preocupação.
Foi o que aconteceu com o ciumento Marco Polo e sua Carol.
A situação constrangedora o faz perder muito prestígio.
Além de mentor, Marco Polo pretende suceder Marin como presidente da CBF.
Andrés Sanchez foi derrubado por ele do cargo de diretor de seleções.
E está trabalhando já para brigar pela sucessão de Marin.
Ganhou um grande trunfo com a devassa na vida pessoal do seu inimigo.
O vice da CBF está enfraquecido.
Presidentes indecisos de várias federações podem bandear para o lado de Andrés.
Ah, o amor.

FONTE:R7
Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter Google Plus email Email
EMAIL: contato@radioousadia.com.br

Curta Nossa Página

As Mais Lidas do Nosso Site

De onde Nos Visitam

Arquivos do Site

Total de Visitantes do Site